Clareamento vulvar: Mais segurança e liberdade

A estética íntima vem ganhando cada vez mais espaço, principalmente por ser uma ótima alternativa para o tratamento de alguns incômodos na região íntima e resgate da autoestima. O clareamento vulvar é um dos tratamentos que vai muito além da estética, mas que atua como um grande aliado das mulheres.

O aspecto escuro na região íntima afeta muitas mulheres, causando vergonha e incômodo em situações de intimidade ou exposição. Este escurecimento pode ser consequências de fatores como envelhecimento natural, gravidez, infeções e até uso de roupas muito apertadas.

Como é feito o clareamento vulvar?

O clareamento da região íntim pode ser feito com técnicas diferentes. O profissional pode usar cremes, peelings químicos e  laser, este último sendo um dos mais modernos e recomendados. Algumas características são consideradas na hora de escolher o método e indicar o clareamento para cada paciente como a  tonalidade da pele e o grau de escurecimento local. O mais simples entre os métodos é o peeling químico, que usa uma associação entre os ácidos retinóico, mandélico e glicólico promovendo uma renovação da pele. Mas em todos eles, o objetivo principal é fazer com que as células velhas saiam e as novas sejam estimuladas a surgir, com isso há uma renovação do tecido, e a pele fica muito mais hidratada e mais clara.  São necessárias de 3 a 6 sessões, com 30 dias de intervalo. As relações sexuais ficam proibidas por 3 dias após a sessão.

Principais benefícios do clareamento vulvar

Com o clareamento vulvar é possível trazer diversos benefícios à mulher, não somente estéticos, mas também para a saúde da mulher. Há um estímulo na produção de colágeno e elastina da região íntima, que naturalmente diminui com o passar dos anos, deixando a pele mais ressecada e favorecendo o surgimento de manchas na pele. Através deste estímulo há uma melhora na aparência e na funcionalidade da área íntima, sendo possível sentir a pele mais hidratada e mais clara.